domingo, 28 de fevereiro de 2010

Campeonato de atletismo

Este Sábado, fui eu para Espinho para, no âmbito do meu curso de fotografia, reportar um campeonato de Atletismo que decorreu. Logo a seguir a um almoço que pelas horas parecia um pequeno-almoço tardio, rumei à escola para me juntar com as outras hostes.
Fizemo-nos à estrada e para Espinho fomos. Posso a dizer que com estas auto-estradas se chega lá bem depressa, embora a ventania do alerta laranja fizesse abanar o carro de uma curiosa maneira.
Chegamos à nave de Espinho e lá tratamos de guardar os momentos. Havia provas de corrida, salto em altura e comprimento entre outros.
Foi um agradável momento que só foi encurtado pela luz que se foi (estes funcionários da EDP! :) ). Já agora até estava lá a Naíde Gomes a saltar mais um metro que as concorrentes...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Que agenda!

Este fim-de-semana promete ser algo assassino. Começa logo com a noite de sexta que promete ser incerta mas que estou a contar que dê para pelo menos um cafezinho com gente de bem.
Amanhã de manhã talvez consiga descansar mas logo a seguir ao almoço rumo para Espinho para fotografar o campeonato de atletismo, que é na Nave de Espinho (alguém tem as coordenadas GPS desse sítio?)
No final da tarde venho a correr para casa para uma reunião por causa de obras a ver se tudo fica definido nas minhas escolhas.
Segue-se uma viagem para a “bila” que para quem desconhece é o carinhoso nome dado a Vila Real pelas gentes de lá, não fosse a minha costela transmontana. A noite espero que seja calma porque Domingo às 8h da manhã quero estar a trepar o Marão num treino da minha viagem em Agosto (ainda tenho de tratar disso).
Almoço e corro para o Porto para a aula de fotografia, a tarde passo-a nisso e logo a seguir vou para o meu ensaio dos fados.
Finalmente resta-me o final do dia de Domingo que talvez dê para algum convívio apetecido.
O tempo dirá e relendo o que escrevi vejo uma preenchida agenda!

Lhasa

A música levo-a comigo, as memórias ficam, e voltam a ser saboreadas. Comigo estás e partes, comigo estivestes e não estás. Tudo é efémero e permanente. Para mim há dias confusos e que não explico no meio de tanta sapiência inconsequente. O que me deste e dás é magnifico e contigo cresço. Não sei se estaremos no futuro mas o que comigo levo já saboreio como uma requintada iguaria. As memórias serão sempre carinhosas e resta apenas uma reminiscência de uma dor que te possa ter causado. O teu lugar estará em mim de um modo muito peculiar.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Arrozinho!

Dizem que quem tem mãe tem tudo. É algo que ainda não posso dizer com certeza, mas acredito que sim. Disso tive uma pequena amostra desse amor materno à chegada a casa. Estive basicamente uma semana de férias e depois de um dia em casa saí para Lisboa.
Ora, chegado a casa tinha um jantar na calha. Apesar de ter algumas coisas orientadas pedi à mãe um belo de um arroz de cenoura, que para além de ser um acompanhamento de eleição (pelo menos para mim) era algo que ansiava depois de uma semana na neve a comer basicamente batatas fritas.
E assim foi, não tardou tinha uma tarraçada de arroz no prato para deglutir. Para quem olhar para a imagem digo que isso foi a segunda ronda de arroz, já que não ia só comer um mini bife.
Soube-me pela vida!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Florence + The Machine - Dog days are over

E uma música interessante recomendada por uma amiga animou a viagem de volta de férias. Apesar de não ser como muitas das coisas que ouço é uma boa sugestão. Por isso ouçam e se gostarem, vão à procura.
Florence + the Machine


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Pas de la Case - Aftermath

Após umas férias muito cansativas posso dizer que estou muito mais descansado. Apesar de ser uma declaração estranha acho que o descanso mental foi abundante e agora resta-me uma actividade simples, dormir.
A companhia nestas férias foi interessante e tenho a dizer que o Ivo ajudou a realizar algumas actividades que podem ser vistas como “maluquice” por alguns. Isto é, muitos foras de pista, estrear neve e até talvez olhar para o ski de outra maneira. Fugir da visão mais comercial e para algo mais ligado à natureza.
Seja como for, os dias por Pas de la Case foram muito bons e são este tipo de férias que recarregam as energias e nos dão força para mais uma maratona de trabalho até porque nem sei quando voltarei a ter férias, mas isso já é outro assunto.
Ficou como remate a viagem que só demorou 12 horas, algo que para fazer 1200km com paragens não está nada mau.
Para o ano haverá mais neve, esperando eu que seja nos Alpes!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Pas de la Case 4

Os dias de neve aqui por Pas de la Case têm sido interessantes e cansativos, mas há algo que posso dizer, o dia de hoje foi de longe o melhor dia de neve que tive. Um dia que começou com calma, com muita neve a cair, e que tinha em mente andar nas calmas com o Ivo.
No entanto para quebrar um pouco a rotina acabamos por fazer um bocado de fora de pista. Num segundo percurso que fizemos encontramos um outro português, o Luís, um snowboarder castiço que deu alguma vontade de continuar pelos atalhos que fugiam das pistas. E assim foi, seguimos o dia inteiro por fora de pistas e estreamos duas faces de montanha. Uma delas estava sublime. Neve fofa até à cintura e sem um único trilho. Fizemos esse percurso duas vezes, após o qual um maralhal de gente se aventurou. No entanto a história só lembra os primeiros. Isto ao ponto dos funcionários das cadeiras meterem conversa connosco a perguntar como tinha estado a neve. Acho que isso foi um bom reconhecimento.
Amanhã temos o último dia de ski. Esse sim espero que seja nas calma, para repousar um pouco, dado que na segunda o dia é de trabalho e o cansaço será muito.
De qualquer modo fica o sentimento de sermos os reis da montanha. Que grande dia!

Ps - A segunda foto foi tirada pelo Luís.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Pas de la Case 3

Os dias de ski têm tido também uma diferença, desta vez vimos em meia pensão e isso ajuda bastante na organização do nosso final de dia. Podemos calmamente chegar das pistas, descansar um pouco e comer sem grande trabalho.
Ora o restaurante onde é o jantar, dado que o hotel em si não tem sala de jantar, é perto e é relativamente agradável. Sendo que ainda estamos a ser beneficiados pois pensávamos que teríamos de pagar as bebidas, mas afinal não. Depois da galhofa do jantar não nos temos estendido muito em horas. Os dias têm sido desgastantes e o corpo precisa de repousar.
A noite passou, o descanso foi algum mas não tanto como pensava dado que me andaram a roubar o cobertor durante a noite. Lá acordamos pelas 8h locais e arranjamos as tralhas. Comemos o nosso pequeno-almoço e saímos. O dia estava animador, algumas nuvens altas e alguma neve a cair. No entanto a visibilidade era excelente, ou melhor, muito boa. Excelente seria se estivesse aquele Sol radioso que nos permitisse ver até ao horizonte sem problemas.
A manhã correu depressa, não tardou a atravessarmos a estância e a chegarmos a Canillo. Para lá fui só com o Ivo, dado que o resto da malta voltou para trás a pensar nas aulas de tarde. Em Canillo fomos à aventura. Depois de analisar o terreno fomos para fora de pista, por entre as árvores, para um contacto mais próximo com a natureza. Tão próximo que o Ivo até apanhou uma senhora num momento recatado a aliviar-se em pleno bosque. Que risada! Eu só não me ri muito porque num desses recantos tive o joelho a sair do sítio. Caso para dizer “ai, cum catano!”. Felizmente a joelheira e o frio ajudaram a coisa a não escalar. Foi algo que no entanto condicionou o dia. Fomos almoçar e traçamos o plano de voltar para trás. Dado que assim com a perna não valia a pena abusar.
Viemos os dois para trás nas calmas e não abusamos, dado que a ideia era não abusar de todo. Mesmo assim chegamos de volta a Pas de la Case às 14h, ou seja, em cerca de uma hora e quinze minutos chegamos a casa.
Depois a fórmula foi sagrada, banho, gelo e agora descanso. Vamos ver como estão os tocos que tenho abaixo da cintura, se estiverem bons será mais um dia, no entanto irei com calma para chegar inteiro à pátria.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Pas de la Case 2

O primeiro dia de neve do ano, pode-se dizer “impecábel!”. Poderia dizer muitas outras coisas, mas a verdade é que vir para esquiar é sempre um grande prazer. Posso dizer que estava bastante receoso do meu joelho, que ainda está inchado, no entanto a coisa correu bem melhor do que esperava. Agora é manter algum cuidado ao longo da semana e certamente dará para retornar à pátria inteiro e sem grandes sequelas.
Dado que saímos todos a horas diferentes, de manhã tivemos alguns desencontros como tal fui só eu, o Ivo e o Mendes. Apesar dos cagufes iniciais não tardou ao trio estar em ritmo quase de cruzeiro e andamos a um bom ritmo. Fomos de Pas de La Casa até Tarter e voltamos, tudo isto antes do almoço. Deu para fazer alguma velocidade (hoje só 83,8km/h), uns saltinhos e um pedaço de fora de pista. O Ivo, como grande adepto dessa vertente está a despertar a minha curiosidade, por isso terei de ver o que a semana reserva.
O grave problema veio após o almoço. O tempo gélido tem-se feito sentir e posso dizer que as temperaturas são bem baixas. Ao ponto de pelas 15h fecharmos o tasco e vir para o calor do hotel.
De qualquer modo amanhã haverá mais e será interessante estrear algum equipamento que hoje se juntou ao meu “reportório”.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Pas de la Case 1

Hoje escrevo noutro país, noutra cidade. Fiz numa demanda a curiosas horas uma viagem com amigos para atravessar a nossa península e rumamos para terras andorrenhas. O destino, como tem sido nos últimos tempos nesta altura é uma semana na neve. A qual traz sempre muito de bom. Algo que no entanto já referi noutras alturas e sobre o qual não vale a pena dizer demais.
No entanto o que teve como grande foco estes dias de fim-de-semana foi uma longa viagem do Porto para Andorra. Foram muitas horas fechadas na carrinha do costume, mas depois de convívio, conversa, galhofa e algum descanso, chegamos ao desejado destino.
Por cá, algo há de novo. O frio intenso. Não me lembro de umas férias de neve tão geladas como estas, parece que o equipamento pode ser o meu ponto fraco este ano, amanhã o tempo dirá, mas até lá, espero o melhor. Nomeadamente que o tempo esteja solarengo. Porque se com esta temperatura não temos sol, será certo que os dias por cá serão muito difíceis.
A ver vamos!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Estamos quase na neve...fofa....

É já amanhã que vou rumar para terras andorrenhas para uma já esperada semana da neve. Posso começar a dizer que é um tipo de férias que não é para todo. Afinal de contas, e fazendo um simples resumo, é uma semana que anda-se a subir e a descer montanhas e que basicamente passa por realizar várias horas de exercício por dia, todos os dias. Isto, para muitos poderia ser logo um motivo para certas pessoas fugirem a sete pés destas actividades. No entanto, das pessoas que vou conhecendo e que repetem as férias é porque gostam bastante e não só um bocadinho.
Neste caso não sou excepção e o meu gosto pelos “desportos de inverno” é grande. Começa pela novidade, isto é, num país como o nosso querido Portugal a neve não abunda e quem se lembrar da serra da Estrela não é algo que prime muito pela neve, ou melhor, tem dias. Assim, o facto de ir para um ambiente que não é muito normal no dia-a-dia é logo positivo.
Depois há uma segunda vertente, as paisagens. Reconheço que subir aos picos e vislumbrar as paisagens vastas como se o mundo estivesse aos nossos pés é uma acolhedora solidão.
Mas é no entanto o terceiro ponto que me desperta mais a atenção. Descer pistas a velocidades que seriam suficientes para fazer os radares da VCI dispararem. Ainda para mais em cima de dois pequenos pauzinhos presos aos pés. O gosto e a adrenalina que essas descidas desenfreadas me dão é algo que posso descrever como sublime e que dada a intensidade, criam memórias extremamente vívidas e marcantes. Olhando para trás, certas descidas que fiz com mais intensidade posso dizer que vão ficar bem frescas na memória por muitos anos, principalmente aquelas em que pensei que no segundo a seguir poderia falecer devido a um embate qualquer. Ou olhando para trás no sopé da montanha e pensar como foi possível descer isto?
Isto é conversa a mais e acção a menos, vamos ver o que a semana me reserva dado que o meu joelho está algo lesionado, bem melhor, mas ainda não está em pico de forma.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Novos looks

Hoje deu-me para mudar, o quê? Nada de especial, mas se calhar face à minha iminente ida de férias para locais frios e com neve ficou aqui um novo aspecto que acho interessante. Isso a par de ter descoberto uns sites com imensos templates para o Blogger ajudou. Pode ser que assim sendo, mude de “roupa” com mais frequência. O que bem vistas as coisas é bastante agradável.
A semana tem é de passar para ir esquiar, e até lá terei de tratar bem do meu joelho para estar apto ao esforço físico que terei pela frente.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Aula de fotografia - estudio

Este domingo tive mais uma longa e agradável sessão do meu curso de fotografia. Desta feita para além de algum trabalho com o Photoshop de tarde tivemos ainda técnica de iluminação em estúdio. Ora aqui deparei-me com um pequeno problema. A minha máquina ainda não está pronta. Está para arranjar na fábrica e parece que deve ser mesmo no Japão, porque ainda não chegou.
Como tal, tive de me resguardar na Elsa que é a única companheira “Sony”. Assim volta e meia tirava fotos com a máquina dela. Claro que dada a minha limitação técnica, acabei por servir de modelo para os demais.
Nesta vertente só posso dizer que o que salvou o dia foi darmo-nos bem, se não fazer de modelo durante 4 horas é dureza!
Mesmo assim ficam aqui algumas das imagens que eles tiraram.

p.s. – Malta, espero que não se chateiem por ter aqui as fotos, mas a esta hora do dia não está ninguém online para me responder a perguntas existenciais ;)

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Mais perguntas?

Depois de ver umas perguntas num blog de uma amiga minha não resisti e escrevi um pouco sobre mim, por isso, aqui fica:

Questão 1: Tens medo de quê?
De não gostar de mim, pois parte tudo daí. Se gostar de mim o resto vem atrás :D

Questão 2: Tens algum guilty pleasure?
Vinho do porto....

Questão 3: Farias alguma loucura por amor/amizade?
Já sim, até algumas mas saber quais foram é mais complicado.

Questão 4: Qual o teu maior sonho? Responder paz, amor e felicidade é trapacear;)
Pois, actualmente é uma altura estranha para responder a isso. Agora se calhar é estar bem com o mundo à minha volta.

Questão 5: Nos momentos de tristeza/abatimento, isolas-te ou preferes colo?
Não sei se é bem colo, mas gosto de companhia, embora algum isolamento possa ser bom numa fase inicial. Mas é para essas alturas que queremos a família e amigos.

Questão 6: Entre uma pessoa extrovertida e uma introvertida, qual seria a escolha abstracta?
Ora uma pergunta que nem sei o que diga...eu posso dizer que gosto mais de pessoas extrovertidas, porque é mais fácil interagir com elas e porque mais facilmente partilham coisas, vá, como eu.

Questão 7: Sentes-te bem na vida, ou há insatisfação além do desejável?
Diria que cada dia que passa há mais satisfação. Mas como em muita coisa na vida é tudo um caminho e não um destino.

Questão 8: Consideras-te mais crítico ou ponderado? Sabendo, contudo, que existem críticas ponderadas.
Eu diria crítico, procuro dizer as coisas com calma para não ferir demais as pessoas, mas perfiro a honestidade do que a falta dela.

Questão 9: Julgas-te impulsivo, de fazer filmes, paciente...? Define-te, de uma forma geral.
Depende muita da situação, acho que sou uma pessoa muito paciente mas em algumas situações tenho pouca paciência. Além disso gosto de estar preparado, por isso às vezes faço "filmes" isto é, vejo cenários e o que poderá acontecer, até porque homem prevenido...

Questão 10: Consegues desejar mal a alguém e, normalmente, concretizar? Sê sincero.
Por muitas ideias que passem cá dentro é algo que não consigo fazer, até porque o que se ganha com isso? Um peso na consciência. Perfiro que me custe e que seja correcto do que andar a carregar-me de pesos para a vida. Concretizar? Há tantas maneiras de o fazer mas não é algo que faça....

Questão 11: Conténs-te publicamente em manifestações de afecto (abraçar, beijar, rir alto...)?
Gosto de beijinhos e essas coisas, não é pelo mundo olhar para mim que deixaria de mostrar o que sinto por outra pessoa. às vezes posso-me conter um pouco, mas pouco!!!

Questão 12: Qual o teu lado mais acentuado? Orgulho ou teimosia?
Orgulhoso...talvez um nadinha, mas acho que mais depressa sou teimoso (será mais correcto dizer persistente? hihi).

Questão 13: Casamentos homossexuais e direito à adopção?
Parece que ao haver casamento não será lógico impedir isso. Como é mais ridículo uma pessoa sozinha o poder fazer e uma junta com outra do mesmo sexo não. Acho que o mais importante é a educação e o amor que os pais dão aos filhos...

Questão 14: O que te faz continuar o blogue?
gostar de registar o que me vai passando e querer partilhar isso com os amigos.

Questão 15: O número de visitas e comentários influencia o teu blogue?
Bem, muitas visitas é bom, principalmente se a malta carregar na publicidade, mas se fosse por isso nunca tinha começado a escrever.

Questão 16: Na tua blogosfera pessoal e ideal, como seria?
Acho que caso não tenham reparado...o que faço é o que quero.

Questão 17: Deviam haver encontros de bloguistas? Caso sim, em que moldes? Caso não, porquê?
Bem, eu cá perfiro os amigos, se for pelos blogs que os conheço pode ser, mas para mim o importante é a família e os amigos....

Questão 18: Sabes brincar contigo e rir com quem brinca contigo? Sem ironias.
Sim, brincam tanto comigo e com as minhas atitudes. É bom saber rir de mim próprio, se não é díficil continuar a crescer como pessoa.

Questão 19: Quais são os teus maiores defeitos?
Teimoso, carente, às vezes nervoso, hiperactivo...bem, diria que defeitos não há, há características, tudo depende de quem olha, defeitos para uns são virtudes para outros...

Questão 20: Em que aspectos te elogiam e/ou achas ter potencialidades e mesmo orgulho nisso?
Se calhar nas cantorias e agora um bocado na fotografia, acho que gosto de o modo como me exprimo ser apreciado...será isso?

Questão 21: Entre uma televisão, um computador e um telemóvel, o que escolherias?
Diria que o computador, afinal no pc consegue-se ver televisão e falar ao telemóvel :P Para não falar de ter-se .... a parte do computador.

Questão 22: Elogias ou guardas para ti?
Elogio, gosto de dizer o que penso e porque acho que elogiar é importante, não só dizer as coisas quando estão mal.

Questão 23: Tens humildade suficiente para te desculpar, sem ser indirectamente?
Sim, afinal todos erramos e o primeiro passo para corrigirmos ou sanarmos algo é reconhecer o nosso erro.

Questão 24: Consideras-te, de grosso modo, uma pessoa sensível ou pragmática?
Depende da situação, para algumas coisas sou sensível e para outro racional, mas gosto muito da minha vertente mais emocional.

Questão 25: Perdoas com facilidade?
Sim, não ganhamos nada em levar rancores conosco, são pesos que só nos dificultam a caminhada. E além disso perdoo porque também quero ser perdoado e porque não seria justo pedir uma coisa sem a outra.

Questão 26: Qual o teu maior pesadelo ou o que mais te preocupa?
Isso nem sei, como vivo (ou tento viver) um dia de cada vez, acho que é melhor não pensar em problemas em demasia, pelo menos ao ponto de ser um pesadelo. É importante sabermos o que pode ou não acontecer, mas para além do que podemos fazer não adianta estarmos sempre preocupados, porque assim é da maneira que não aproveitamos os momentos que temos.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Lugares acolhedores

O trabalho tem me enchido a agenda, ou melhor, não só o trabalho, mas este tem tomado uma vertente mais intensa nos dias. Por isso nem sempre me surge o tempo para deixar aqui o relato de coisas que tanto prazer me dão.
Esta terça-feira tive um agradável (re)encontro com a malta dos fados, passamos pela nossa segunda casa e tratamos de jantar. O novo retiro das antas é o que muitos poderiam apelidar de tasco, mas pelas pessoas que por lá andam ganha uma dimensão muito importante. Não é ao calhas que a apelido de segunda casa. Desde à comida que é confeccionada com carinho, às bebidas que nos oferecem ou ao entrarmos pela cozinha para cumprimentar a D. Isabel. Claro que não me poderia esquecer de outras coisas também muito importantes, como é o caso do Sr. Guedes a tocar pente. Não é nenhuma destas coisas em separado, mas todo o conjunto dá um olhar único ao convívio que por lá temos.
Assim sendo esta semana por lá passamos para comer o nosso bife a cavalo e cantar o que mais gosto nos dá.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Sushi!

 Este fim-de-semana houve naturalmente as actividades do costume, mas entre outras menos ortodoxas, tive um agradável jantar no Shusihana um restaurante japonês na Rua Prof. Mota Pinto que para quem não sabe é paralela à Avenida da Boavista. O restaurante é bem pequeno e agradável embora o sushi não seja nada do outro mundo. Mesmo assim a companhia dos amigos ajuda qualquer restaurante a melhorar. Embora às vezes não faça milagres. Estou a lembrar-me de um restaurante curioso cujo quarto de banho dos homens era forrada a revistas pornográficas veja-se lá.
Mesmo assim a refeição foi bem proveitosa, quer a nível gastronómico mas não só. Falamos muito e só senti pena de, quando o jantar findou, estar tão terminalmente cansado que não os acompanhei para sair à noite. Retornei ao sossego do lar para tentar compor o joelho que estava bastante inchado do treino de sexta-feira.