terça-feira, 29 de abril de 2008

A recompensa do suor


Apesar de ser algo que já tenho em mente há muito tempo só agora me dei ao trabalho de escrever esta minha opinião. Todos nós por um motivo ou outro suamos, ou porque estamos nervosos, ou porque está calor, ou porque o exercício é muito. Por norma é a reacção do corpo para manter a temperatura correcta. Caso contrário em vez dos 37ºc, a temperatura começaria a aumentar e sabe-se lá o que aconteceria, tal como falha de órgãos e afins.
No entanto não é propriamente da vertente médica que me levou a escrever sobre este assunto. No meu caso muito pessoal posso dizer que apesar de não suar (muito) por estar nervoso, suo consideravelmente quando toca a hora de fazer exercício. Por vezes até penso que é demais, mas vejo o suor do esforço com muito bons olhos. Para mim fazer exercício e não estar a suar muito e cansado é o mesmo que dizer que o que acabei de fazer foi um esforço perdido. Algo sem grande nexo ou interesse. Se fosse treinar e chegasse ao fim sem suar ou com uma insignificante quantidade de suor não me iria sentir bem.

O suor é a minha recompensa, a maneira do meu corpo me informar que afinal foi um merecido esforço e que este foi reconhecido. Apesar disso tenho de reconhecer que existem alguns problemas com esta minha maneira de ser, em primeiro lugar, o facto de suar bastante diminui o rendimento muscular, além disso (e como consequência) estou algo mais sujeito a lesões, tipo cãibras. Outro ponto é que o equipamento fica consideravelmente mais pesado e requer mais passagens pela máquina de lavar.
Bem ao menos no final há sempre um merecido banho que também é mais uma recompensa que me dão. A não ser quando não há água quente ou surge algum problema, mas esse assunto fica para segundas núpcias.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Por onde ele vai

Realmente os milagres da tecnologia permitem inúmeras coisas, uma delas é ir aproximando que mais longe está. Este é o caso do meu bom amigo Gaspar, que está por terras longínquas. Basta dizer que lá é dia quando aqui é noite.
E como ele até gosta de falar conosco e dado que a banda larga lá é um bocado estreita há que arranjar métodos alternativos de comunicação. Deste modo surge um blog, em jeito de diário que espero que sirva para estarmos mais perto das aventuras desse embaixador dos nossos costumes e boa disposição.

Acorram a este novo sítio (ou cliquem que deve ser mais fácil)

Por onde vou



PS- Gaspar, olha lá a malária...

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Adaptações


Adaptar estruturas nunca é tão bom como pensá-las de raiz...
Este fim-de-semana fui para um hotel, mais precisamente um Convento adptado para ser um hotel. Ora, como seria de esperar, apesar do esforço ter sido grande as facilidades não eram nada do outro mundo. É claro que o hotel em si parecia mais um museu do que propriamente um hotel, com todos os quadros, tapetes e outros objectos com inúmeros anos em cima. No entanto a componente hotel deixou algo a desejar. Os quartos eram interessantes mas nada do outro mundo, o que foi mesmo negativo foi o atendimento.

Com estas estruturas antigas (como também é o caso de turismo de habitação e afins) a norma é que o atendimento é fraco. Não têm funcionários à altura ou o apoio que dão é diminuto. O resultado é um cliente não propriamente satisfeito e com pouca, ou nenhuma vontade de voltar ao local.
Assim sendo fica a minha recomendação, Convento de Alpendurada...nunca mais.

Ah...apesar disso a companhia foi boa :)

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Sonhos


Bem recentemente passou-me um pensamento pela cabeça. Apesar de não ser um sonhador frequente (felizmente quando chego à cama parece que fico em coma até o despertador tocar), quando sonho existe um ponto que sempre me perturba, o facto de não ter grande escolha no que se passa.
Parece que sou sempre um mero espectador e não a pessoa que está a dar origem ao episódio. E digo isto em todo o tipo de sonhos que tenho, os interessantes, os complexos, os sem nexo e os demais parecem todos regirem-se por essa regra universal. No fundo parece a opinião das mulheres quando ainda não votavam. Toda a gente gostava delas mas não ouviam o que elas diziam. "Ai queres votar?! Ve lá se te calas ou ainda levas com o cinto! Deves pensar que isto é uma festa...!".

No entanto tal como essa estrutura social mudou pode ser que um dia estejamos mais próximos do que sonhamos, ou não...

terça-feira, 1 de abril de 2008

Retorno aos treinos

Esta segunda voltei a treinar. Depois da minha mini-micro-ruptura na perna achei que devia retomar a actividade. Como tal fui ao Kendo, pela primeira vez este ano. E como os prognósticos eram só no fim do treino, esperei para ver. Felizmente a perna aguentou-se bem. O problema que tive não foi esse. Como seria de esperar, esta máquina perguiçosa que é o nosso corpo, já estava a ficar fora de forma. E o cansado é muito. Por isso terça é daqueles dias que se diz...mas porque é que eu não tinha mais 6 horas para dormir? Pensando melhor, porque é que eu não tenho 6 dias para dormir melhor? :)

Outro ponto é que a falta de treino nota-se e tenho de treinar para voltar a entrar no ritmo, quer físico, quer de técnica. Esta semana vamos ver se ainda passo pelo Judo e trato de ir retomando os treinos lentamente. Dois treinos esta semana, se calhar 3 na próxima, e depois é como se diz, vamos indo, vamos vendo.
Dá-se atenção às saudades (vá lá não muitas :) ) que a malta do kendo "tinha", pelo menos já diziam "à quanto tempo!..."