quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Referências


Outro dia foi à X Grande Noite de Fado do ISEP e tal como outros grupos de Coimbra, estivemos a mostrar o que sabemos fazer. Valeu-nos uma referência em tom de imagem num blog de uma grande entidade do fado de Coimbra, o Dr. Octávio Sérgio, como podem ver aqui

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Em Paris - Aftermath

Um fim-de-semana prolongado depois posso dizer que Paris continua a ser uma cidade digna de se visitar e revisitar. Este ano tive a felicidade de ir lá durante o verão e agora durante o Inverno e pude ver faces diferentes da cidade, as quais me agradaram. De Verão via-se muita gente, muita animação, espectáculos de rua ou no metro e muita energia no ar. No Inverno a animação não é tanta, mas mesmo com o frio acho que é uma cidade que é fácil de parecer que nos encaixamos bem. Pelo que também vou falando com a Ana é um bom sítio para viver, tendo só o requisito de se ter de falar francês, neste ponto não há grande flexibilidade pois os franceses, como a Ana nos disse, pensam que França ainda é o centro do mundo e como tal toda a gente deve falar francês. Penso que isto só daqui a 50 anos é que se resolve. :)
Um outro ponto que pode ser negativo, isto porque para ser correcto acho que devemos dizer o que há de bom e o que há de mau, é que, quando há problemas, os franceses são extremamente inflexíveis. Se por um lado, quando se pergunta algo na rua eles ajudam sem problema, se precisamos de algum apoio ou solução para uma dificuldade é difícil de os ver a cooperar.
Finalmente estava à espera de ver mais enfeites de Natal, penso que Portugal "mima" demais os portugueses (nem que seja para os forçar a ir às compras) com inúmeras iluminações e outros adornos invocativos da época natalícia, mas em Paris o único sítio que tinha iluminações eram os campos Elísios e a Disneyland. É claro que pode ser como eu disso, os portugueses é que já esperam muito neste campo.
Em jeito de resumo, aconselho a visitarem esta capital europeia por o saldo será claramente positivo.

video

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Em Paris 3

O nosso último dia em Paris foi, como de costume, muito breve. Logo a começar, o tempo não ajudou muito. Depois de muita perguiça para sair do hotel (ai as minhas pernas) procuramos aproveitar o tempo ao máximo e fomos logo até ao Moulin Rouge, esta paragem foi mesmo só isso, uma paragem, pois o tempo apertava e ainda queriamos ir dar mais umas voltas. Nesta altura tivemos o curioso de ter neve a cair, o que dá uma outra magia à cidade, afinal, no Porto, não é nada normal termos neve. O destino seguinte foi Montmatre, uma igreja bem pitoresca e numa localização bem priveligeada da cidade de Paris.Do monte, vê-se praticamente Paris inteira, onde se salientam outros monumentos, como a torre Eiffel ou Notre Dame. A igreja em si, é no meu entender mais ampla e acolhedora do que Notre Dame, a qual quase parece claustrofóbica. Só aqui tinhamos o funcionário paquistanês a dizer “no photô!” e “sshhhhhh!”. Realmente é algo épico e para ser recordado.
Almoçamos num cantinho logo ali ao pé num restaurante com aspecto bem tradicional e corremos logo para La Villete, onde está o parque das ciências, um edifício de 5 andares dedicado a exposições e afins. Aqui a passagem foi algo mais breve que o que esperavamos, mas o cansaço começou a vir ao de cima e, tal qual o robô que fica com a voz grave quando falta a corrente, a nós faltou-nos a força para ver mais.
Como guerreiros derrotados fomos para St. Michel ter com a Ana para um revigorante chocolate quente e 2 dedos de conversa. A hora chegou e com ela as despedidas e deixamos a nossa magnífica e fantástica anfitriã e entramos no comboio (da primeira vez no errado) a caminho de Orly. Chegamos ao aeroporto algo em cima do tempo mas com folga para tratar de tudo atempadamente. Agora estamos à espera que tragam alguma nutrição para o corpo cansado, porque quando chegar a casa o objectivo é só 1, dormir, e muito!

domingo, 23 de novembro de 2008

Em Paris 2

O dia de hoje foi dedicado à Disney, isto porque estar em Paris e não aproveitar para ver o parque que está mesmo ao lado não era muito bom. Assim, com a imensa vontade da Susana, acordamos (embora não muito cedo) e fomos de comboio ao parque. A viagem demorou 45 minutos e tivemos ainda 2 jovens, em estações diferentes que vinham deixar uma mesma folha a dizer que eram sem abrigo, tinham 3 irmãs e precisavam de 1€ ou 2€ para comer. Achei piada que ou era muita coincidência haver 2 sem-abrigo com famílias iguais, ou um deles era uma mulher com um ar muito másculo ou se calhar era só mesmo para levarem o dinheiro dos mais ingénuos. Isto é no entanto a minha opinião, claro. Chegados ao parque tivemos ainda de comprar os bilhetes e meia hora depois, lá estávamos a passear. Ponto nº 1, o parque é bem grande, ainda por cima são 2, logo ver tudo num dia é de todo impossível, a não ser que aluguem o parque e não tenham qualquer fila para as diversões, é claro que acho que isso deve ser algo difícil. Passamos por várias diversões como a famosa Space Mountain ou a viagem da Star Wars. Numa diversão, a do Buzz Lightyear fiz ainda 61.700 pontos, upa! A Susana só fez 9.900, mas ela é pequenina afinal de contas.
O dia foi muito cansativo e bastante frio, tivemos de fazer algumas paragens estratégicas para tomar um chá de modo a aquecermos o corpo, caso contrário, corríamos o risco de ficar por lá no país das maravilhas. A parada deu para ver as personagens todas da Disney, que estranhamente pareceram ausentes durante o dia, acho que andavam todos muito bem escondidos, porque realmente, não vimos ninguém. O resultado é que não temos daquelas míticas fotos com o Rato Mickey e afins.
O fim do dia chegou, e com o corpo todo pesado do cansaço, arrastamo-nos até ao hotel para tentar repor algumas das energias.

sábado, 22 de novembro de 2008

Em Paris 1

Este fim-de-semana está a ser, como disse, bem fora da norma. Fui para o Francisco Sá Carneiro e dirigi-me ao balcão da TAP, o destino, Paris. É verdade que ainda este ano estive na capital francesa com os fados, mas desta vez a companhia é outra. O objectivo, quebrar a normalidade e vir dizer olá à Ana, que está cá num projecto de mestrado. A viagem em si acho que começou muito bem, isto se compararmos com os voos da Ryanair. Em primeiro lugar os balcões de check-in e as portas de embarque não ficavam num dos cantos do aeroporto e a atenção com a qualidade do serviço é outra. Começou então a viagem e tivemos logo uma surpresa, a presença do reitor da universidade do Porto, o Prof. Marques dos Santos. Além disso, dado que o voo não era low cost, tivemos ainda direito a um snack, que no meu entender, até poderia ser uma refeição a sério dado que não tínhamos lanchado. Chegados a Orly apanhamos o comboio e passado um pouco encontramo-nos com a Ana. A conversa foi tanta que até tivemos direito a falhar a estação e tivemos de voltar para trás, mas nada de problemático.
No dia seguinte começamos a passear e ver as várias atracões desta bela cidade. Vimos os arcos, Notre Dame, Louvre (só por fora, claro), a torre Eiffel e quase que que conseguimos ver o Pantheon. Quase porque de manhã tentamos e excepcionalmente estava fechado e abria de tarde, e de tarde...não chegamos a tempo, tentamos depois. Fomos ter com a Ana, que depois de um dia de trabalho queria jantar e fomos parar a um restaurante italiano que apesar das reduzidas dimensões tinha boa comida. Para acabar o dia fomos ainda aos campos Elísios ver as iluminações de natal e dar uma vista à torre Eiffel de noite.
Amanhã o plano é ir à Disney, ufa, já estou cansado.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Unicepe


O meu serão de ontem saiu da normalidade, não fui ao treino e tive em vez disso um jantar para celebrar os 45 anos da livraria Unicepe, Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto. Esta livraria, bem no centro do Porto está mesmo na praça dos Leões, que é mais conhecida por uns que por outros. Provavelmente há quem conheça mais de perto o Piolho ou a praça da Cordoaria. :)
Tivemos então um jantar de tamboril seguido de uma pequena actuação na livraria em si. Foi numa sala relativamente pequena mas muito bem composta que tocamos alguns temas do nosso fado de Coimbra para a plateia composta pelos sócios da livraria. Depois de alguns temas, tivemos uns convivas bem agradados com a actuação e que teve inclusive alguma troca de galhardetes. Passo a explicar, tivemos direito a levar uns livros autografados pelos autores que são sócios da livraria. Um verdadeiro encontro cultural, rico e que merece ser repetido.

PS - No site da livraria reparem se conhecem alguém na entrada de doa 2008-11-19 :)

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Lesões


O rotineiro da vida pode-nos trazer alguns problemas, nomeadamente lesões, como o jeito nas costas ao levantar um peso ou outra situação. No caso dos desportistas, como me gosto de ver, estas podem estar mais presentes porque afinal de contas, tiramos mais partido do corpo, sendo que a probabilidade de termos uma dita lesão é maior. Ontem no treino tive precisamente uma lesão no pulso. A situação foi a projectar o Pedro o meu pulso ficou preso contra as costelas dele e na queda a pressão contra o pulso foi muita. Hoje até meter mudanças no carro é algo que tem de ser ponderado. :) No entanto não é por queixar-me que o pulso fica melhor, por isso está ligado e no processo de ficar melhor, vá lá que sou canhoto :)

PS - obrigado pela imagem google

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Mudança


Mudança é algo que está presente no dia-a-dia. Muitas vezes odiada é o que nos permite crescer e fazer mais e melhor do que fizemos no dia anterior. Neste caso aproveitando novas ferramentas que o blogger tem fiz uma actualização à estrutura do meu blog, a qual passará a permitir ter conteúdo mais dinâmico e, espero eu, ir mais de encontro aos meus leitores. Se tiverem um blog convido-vos a experimentar se ainda não conhecem estas ferramentas. Se por outro lado já sabem do que estou a falar, parabéns. Já agora, quem tem sugestões do que gostaria que este blog falasse mais ou tivesse? Espero algumas opiniões...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Escapadela


Como seria de esperar aprecio bastante uma escapadela, algo bom para descansar o corpo e a mente e dar mais alento quando a segunda-feira chega. Os destinos são variados e depende como se diz, de luas. Umas vezes vamos para norte, outras para sul, mas tendencialmente para sítios diferentes.
Desta feita o destino é bem mais para norte, com a desculpa de visitar a Ana. O fim-de-semana vai começar um pouco mais cedo e os kilómetros ainda serão bastantes, é claro que assim que houver novidades aviso pelos canais do costume.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Desporto


Ultimamente tenho estado com um gosto particular pelo exercício físico, gosto que compreendo que seja quase um vício. O exercício é como o Red Bull, que revitaliza corpo e mente, e sinto isso bastante, principalmente quando não pratico nada. O mês de Agosto é bem exemplo disso, como não há treinos nessa altura, e mesmo quando vou fazendo algo como umas corridas, é uma altura que me custa muito a passar. O desporto é para mim um tubo de escape, um prémio, uma necessidade. Ajuda a distrair-me, a exteriorizar problemas e acima de tudo deixa-me feliz.
Se não praticam, façam-no e se o fizerem, que seja com muito gosto!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Simon & Garfunkel


Um dos álbuns que me dá gosto ouvir é da autoria de 2 personalidades que todos devem conhecer, Simon & Garfunkel. Decerto muitos os consideram já ultrapassados e nada adequados aos padrões musicais dos nossos dias, mas ainda hoje é algo que me enche os ouvidos como outro qualquer género musical.
O álbum em questão é o gravado no concerto que deram em Central Park, Nova Iorque, em 1981, e apesar de por norma fugir a 7 pés de álbuns ao vivo esta pode ser considerada uma excepção. O ambiente que transmite é fantástico e os temas são de agrado. Se ainda não conhecem...conheçam.

Discover Paul Simon!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Wikipedia

No meu trabalho e a nível pessoal uso diariamente várias ferramentas, as quais me permitem fazer coisas que caso contrário seriam muito mais difíceis de atingir. Uma delas é a Wikipedia, a enciclopédia online que já conta com mais vocábulos que a enciclopédia britânica e isto em várias línguas, nomeadamente o nosso português (embora com uma percentagem muito grande de contribuições dos nossos amigos do lado de lá do Atlântico).
A Wikipedia é um projecto sem fins lucrativos, no entanto não é por esse motivo que deixa de ter custos. Como tal está a pedir a ajuda de todos nós para manter este projecto em pé e continuar a levar a todo o mundo informação e conhecimento.
Espero que possam também dar a vossa contribuição, já que mesmo as mais pequenas fazem a diferença.
Eu ajudei, façam o mesmo!
Wikipedia Affiliate Button

terça-feira, 11 de novembro de 2008

consumismo vs necessidade


Algo que me surgiu em mente foi algo com que nos deparamos todos os dias e por vezes sobre coisas pequenas e insignificantes. Pode-se dizer que é muito normal querer-se sempre mais de tudo mas até que ponto é que o que queremos é importante e necessário? Quantas vezes o que queremos é o que precisamos? Acho que o surge com frequência é o melhor, o mais alto, o mais caro mas nem sempre é essa a opção mais apropriada, e ter noção desse facto e depois ainda tomarmos uma decisão com isso em mente é algo ainda mais complicado. Vejo-me frequentemente nesta situação, e nem sempre sou capaz de ir pelo caminho do que preciso mas sim do que quero. Acho que é uma luta que certamente me assola assim como a muita boa gente. Como é o caso, de querer ter o melhor computador, mas será que depois se vai tirar partido dele? Qual o sentido de comprar um pc topo de gama para fazer documentos de texto? Olhando bem será um desperdício, e daí qual o interesse? Passamos a consumir em vez de investir, é claro que é algo mais fácil de dizer que fazer, e como tal a demanda é constante e talvez infrutífera. É claro que o objectivo deve ser, podemos não conseguir, mas temos que tentar.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

20 anos de TEUP


Este fim-de-semana surgiram algumas festividades, pode-se mesmo dizer que estes últimos dias primaram por isso mesmo, muitas ocasiões para celebrar e excelentes desculpas para reunir amigos. A ocasião foi o aniversário da tuna de engenharia, que este ano celebrou 20 anos, o que se pode dizer que é uma idade marcante e que para o grupo que é, já imprime algum respeito. Mas o importante nem é a data propriamente dita, mas as pessoas que compõem a festa. Aqueles com quem passamos bons e maus momentos e que têm um gosto como o nosso. A festa levou-me ao Coliseu do Porto, que albergou a festa, o Portus Calle 2008. Tenho de reconhecer que cheguei algo tarde para ver as outras tunas mas bem a horas para ver quem queria, a TEUP.
Pude ouvir algumas músicas novas e outras bem familiares, e todas me comoveram, como seria de esperar ainda tivemos tempo para todos ir para o palco do Coliseu e cantar o nosso hino para uma atenta plateia.
Olhando para esta festa, posso dizer que tive muito gosto, prazer, saudade e nostalgia. Força TEUP, espero que possam dar estes sentimentos aos que por ti passam!

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Meia década


Já cheguei à conclusão à algum tempo que datas especiais, como feriados e aniversários não devem representar a totalidade do acontecimento, caso contrário parece-me que estamos a ser algo hipócritas em relação a este. Por isso, como é o caso de algo como o Natal, não me sentiria bem se só tivesse nuances do dito espírito natalício no Natal. Se no resto do ano não somos simpáticos ou preocupados não é a atitude mais correcta. Sei que posso estar a falar também contra mim, mas é uma meta que defino para mim mesmo. Deste modo sinto que todos os dias devem ser aproveitados, saboreados e tudo o que temos deverá ser valorizado, sem descorar que uma data particular poderá servir de um momento mais apoteótico e que nos ajuda a relembrar o que sentimos e pensamos.
Com isto em mente senti-me muito feliz por estar à meia década com uma pessoa muito especial, que tento dia após dia fazer mais feliz e que precisa cada vez mais da minha dedicação, ajuda e apoio. É algo que gosto de dar e também de receber, uma relação muito importante e que me ajuda em bons e maus momentos. Olho para este marco como um pequeno princípio e com o objectivo de perdurar esta relação ad eternum.
Parabéns a ti e a mim Susana :)

PS – há um desfasamento de dias nesta notícia, mas nada de anormal...

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Provas em Amares


Esta Terça e Quarta fui para Amares para a Quinta do Esquilo. Um sítio castiço de turismo de habitação que pode valer a pena revisitar mas noutro âmbito. O que me levou a visitar este local no meio de uma semana de trabalho foi a realização de provas para a empresa. Tivemos inumeras provas ao longo de inumeras horas que visavam conhecer os candidatos e ver como trabalhavam em conjunto. As longas horas começaram logo na Terça ao entrar para a camioneta às 7 da manhã e nesse dia só depois da meia noite tive descanso, num divã extremamente largo e confortável...ou não. Quarta o dia foi mais curto mas mesmo assim teve ainda um considerável número de provas que fizeram as delícias de quem ainda tinha energia para dispender (que não sei bem se seria o caso).
O final do dia chegou, o cançaso também e rumamos para os lares em busca de sossego. É claro que como seria de esperar para mim o descanso ainda não era merecido, pois ainda tinha outras coisas para fazer, mas isso são outras histórias...
ps - obrigado Google pela imagem...

domingo, 2 de novembro de 2008

Serenata do Caloiro Engenharia


Sexta-feira tive uma actuação que me diz muito, a serenata do caloiro da FEUP. O que faz que seja especial é o facto de ser na minha "casa", a escola onde me formei, onde cresci e onde muitas amizades criei. Para além destes pontos, que para mim já são mais que suficientes, temos ainda o jantar do caloiro, o qual com as suas várias componentes dão mais magia a esta noite. Posso simplesmente dizer que foi um jantar animado, recheado e no geral, um bom preparo para o que se avizinhava.

Chegada a hora, rumamos para o local das hostilidades, e estando o ambiente preparado (se calhar preparado demais, com aquela comida toda...), os ouvintes instalados e os tocadores a postos demos início à sessão. Foram muitos fados e variações que contamos que tivessem sido apreciados por todos. Felizmente a família, que estava convidada, apreciou bastante e tenho pena que os amigos não tenham podido comparecer, mas conto que haja uma outra oportunidade em breve para que eles possam comparecer.