sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Bom 2011

2010, um ano que passou a correr. Tanto viví, tanto cresci. Parece algo que em retrospectiva não é muito real. Quem diria na minha ultima passagem de ano que percorreria tanta terra?
Para 2011 espero para todos o que espero para mim. Que tenha o que preciso e não o que desejo, pois já aprendi que a segunda coisa é muito mais importante!

Para todos um bom 2011 e fica aqui a minha penúltima imagem de 2010. Em jeito de nota o meu projecto 365 foi muito desgastante, mais do que pensaria. Para o ano segue-se um projecto 52 (uma por semana). O que me dará mais tempo e simultaneamente irá fazer com que tenha de ter melhores ideias e com mais qualidade.

A ver vamos!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Canon 70-200mm Lens Thermos Travel Mug

E como ainda há algum tempo para comprar prendas, aqui vai uma outra sugestão, esta para os aficionados da fotografia!

Uma objectiva que na realidade é uma termos. Bem bom! Neste caso uma 70-200mm da Canon.

É claro que eu perferia que fosse da Sony, mas também não se pode ter tudo...

Um exemplo neste site!

Bom Natal!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Sugestões para prendas?!

Como o fernesim é muito e as ideias são poucas, para quem está sem saber o que comprar, aqui fica uma sugestão de deve agradar a todos!
O belo tradutor homem-mulher!

Recomendo vivamente!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Feliz Natal!

Este cantinho das "intermetes" deseja um feliz natal e com desejos que, com o trabalho de todos as coisas melhorem no sentido que desejam (sim, porque não pode haver melhoria sem um bocado de trabalho).

Quanto a mim, espero pelo fim-de-semana com a família no aconchego do lar e com boas coisas na cabeça (que parece que surgem dos sítios mais improváveis).

Para alegar o dia fica um video que encontrei no youtube que certamente colocará um sorriso na cara.

Nota: aconselho a ver o video num tamanho "mais maior grande".

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Merrell Intercept Gore-tex Coffee

Depois de quase um mês à procura destes sapatos / sapatilhas, finalmente tenho-os nas mãos, perdão, pés. A dificuldade não foi escolher o modelo da Merrell que me interessava, pelo contrário. Queria um sapato transpirável e impermeável, daí procurar Gore-tex. Seguidamente dentro da gama da Merrel surgiram os intercept, que há em castanho, preto e café. Esta última apanhou-me as vistas com a sola azul. Um toque colorido que dá um tom mais jovial à peça.
Quanto ao andar, a experiência é curta, mas são por enquanto confortáveis, mas mais testes e utilização mais intensiva é precisa para conseguir perceber o que eles têm para oferecer.

Uma nota, para os ter nem encomendando, foi necessário ir ao Reino Unido (upa Internet!) e mandá-los vir. Valeu já saber o tamanho a escolher. Foi o 45, eu calço o 43, mas estas formas da Merrell são peculiares.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Paint it black

Acho que hoje estou assim....

domingo, 5 de dezembro de 2010

Novos fotógrafos...

A fotografia tem-se mostrado um mundo interessante. Um vício que tem crescido e passado por alguns passos diferentes. Desde o glamour e vertente "trigger-happy" até à que me encontro agora. Nestas alturas ando bem mais calmo e mais interessado em testar conceitos, possibilidades, não propriamente trabalhar em quantidade. No entanto já me apercebi também que há muito para explorar e aprender e como tal é seguir com a minha experimentação.
Verei o que o futuro me trará, mas se assim quiser, serão coisas boas e adequadas. Até lá fica um gráfico algo caricato, algo realista do que se passa na cabeça de um fotógrafo.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Febre da Mini-saia

Uma terça bem longa esta minha. Fotografias, concerto, aniversário e finalmente uma festa. Febre da Mini-saia estava apelidada pela organização das meninas de medicina dentária.
Já cheguei ao Treze 14 pelas 2 da manhã, mas ainda deu para aproveitar, abanar o capacete, tirar umas fotos e acima de tudo divertir-me. A casa estava cheia, às vezes bem difícil de uma pessoa se mexer, mas não foi impedimento para o que quer que seja.
Um bocado antes do que esperava a dança acabou porque tive de ir ajudar quem precisava. O que posso dizer que foi uma excelente maneira de acabar a noite, afinal é tão saboroso ajudar quando precisam.
O que vale é que um feriado à quarta-feira permite recuperar algum do cansaço que estas aventuras causam.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Aniversários :)

Trabalhos à parte, o tempo com amigos é do que mais valorizo. São eles que nos dão tanta força em bons e maus momentos. É algo que deve funcionar com um bidireccionalidade constante e equilibrada. Se isso se passar há bases para uma relação sã e saborosa.
Para celebrar um aniversário foi que com mais amigos nos deslocamos a um novo lar, e entre palhaçadas, conversas e fotos lá se passou um excelente serão.
Desta vez ele fez 30, para o ano haverá mais!

Miguel Moreira Quinteto

Foi um convite inesperado, que ao início do dia tive. Inesperado, mas muito interessante. Um bilhete a mais serviu de desculpa para o Cleto me convidar e ao final da tarde lá fui. Na Casa da Música, uma agenda recheada dá para agradar a vários gostos, horários e carteiras.

O espectáculo foi do quinteto de Miguel Moreira (que acabou por ser mais um sexteto) e deu-me a oportunidade de ouvir um Jazz com o qual não estou tão acostumado. De vários temas que interpretaram, alguns foram interessantes, mas ouve também alguns momentos de "amálgama" (como lhe chamo) durante o qual os músicos pareciam estar cada um para o seu lado. Acontece no Jazz, mas não é o que mais aprecio. Diria que gosto tendencialmente de coisas mais claras e simples.

Mesmo assim um belo início de fim de dia, o qual ainda tinha muito para contar.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Caves Calem

Graças a um contacto que arranjei tive a bela oportunidade de ir visitar com calma e à vontade uma das atracções do Porto (ou Gaia se preferirem). O destino foram as Caves da Cálem, mesmo ali ao pé do rio. Se forem lá com uma visita as limitações são algumas, mas felizmente pude estar como queria e tirar as fotografias que achei que iriam funcionar melhor (isto acho eu). Deu para fotografar as caves em si, a loja e também a linha de engarrafamento (que infelizmente estava parada uma vez que estavam a mudar de produto).
Posso dizer que me dá imenso prazer viver nesta cidade e estar tão perto da produção de uma bebida completamente sublime. Além do mais ainda trouxe umas garrafas para mais tarde recordar (só foram 5).

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Jantares com fado

A musica é algo que me alimenta, mais ainda quando a faço e acima de tudo quando a faço com amigos. No grupo de fados é precisamente esse ambiente que tenho. Musica e acima de tudo amigos. Damos energia, alegria e outras coisas uns aos outros e para mim, é uma necessidade.
Então, é destes momentos que temos de levar connosco, porque sem eles, esta vida era mesmo uma seca!

sábado, 27 de novembro de 2010

Ajudem o homem!

Realmente estamos numa altura de crise. Altura de privações, de dificuldades, e altura também de ajudar. Por isso vejam este apelo desesperado de um homem que sofre.

p.s. - nem que seja para se rirem um pouco :)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Linhas rectas?

Ora há sempre muitas coisas interessantes perdidas por essas internets. Aqui está um curioso vídeo que para além de informativo, deu para ficar mais agradado.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Pasmaceira

Estes dias os joelhos não têm estado em pico de forma, como tal os treinos andam parados e o que se faz é ver umas séries :)

O que vale é que para a semana há uns dias de descanso...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Serei Rei quando...

Muitos desafios podem estar pela frente, mas para ser Rei só terei de respeitar tudo o que for necessário, não menos e não mais, terei de ser assim:

- Fartou-se de tanta donzela de tiara caída.
- É uma alma evoluída.
- Fartou-se de ser usado como salva-vidas e guarda-costas.
- Fartou-se de ser consorte e tapa-buracos emocional.
- Fartou-se que lhe asfixiassem a alma com pedidos impossíveis de satisfazer.
- Fartou-se de manipulações psicológicas e emocionais.
- Decidiu compreender o caminho da liberdade pessoal.
- Atreveu-se a olhar para o seu interior.
- Descobriu a magia do amor incondicional.
- Encontrou alguém que o ama de verdade.
- Desceu aos infernos do seu inconsciente.
- Assumiu a liberdade da sua vida terrena.
- Decidiu ser responsável pelo seu destino.
- É um líder de alma.
- Atreveu-se a usar os seus talentos.
- Construiu a sua felicidade.
- Um dia alguém o entendeu e compreendeu, e isso foi tão excepcional que fez com que se quebrasse o álibi da armadura.
- É um gourmet do coração.
- Valoriza o sentimento autentico.
- É independente.
- Só quer estar com a sua alma gémea.
- Foi criado por uma mulher que era uma rainha com a coroa bem posta.
- É livre.
- Sabe que é filho do Universo.
- É uma alma a viver uma experiência humana.
- Sabe que tem uma missão.
- Sabe que é um ser espiritual.
- Fala e conhece a linguagem da alma.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Mimos... para mim

Porque como diz uma amiga minha: “eu mereço”. Sendo isso mais do que verdade fui aproveitar uma oportunidade bem interessante. Uma sessão de flutuação, seguida de uma bela massagem.
Para os curiosos podem procurar na Float In o que é a flutuação.
Já a massagem foi estranhamente curta, mas só porque estava a apreciar bastante. No final, tive 2 horas do dia a passarem a um ritmo estranho, como se uma fenda temporal se abrisse para me colocar num futuro próximo.
O que vale, e o bem positivo, foi o relaxe com que saí e que levei comigo para o resto do dia.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Trabalhos - a correr

Conto estar a trabalhar para mais uma bela obra. Com a ajuda do Ivo o trabalho prossegue e vamos a ver se no próximo fim-de-semana adiantamos mais trabalho para finalizar e tornar mais acolhedora a sala.
Do que falo? Ora isso é que é uma excelente pergunta, para a qual tenho resposta.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

7 anos - um registo IV

Mas foi 2009 e 2010 que marcaram uma grande alteração. Quer de trabalho, lazer e não só. No início de 2009 estava perante uma possibilidade interessante, fazer um mestrado em Coimbra e nos Estados Unidos, seria certamente uma oportunidade maravilhosa, paga pela empresa e que certamente me daria umas perspectivas muito interessantes. No entanto, muito inesperadamente, surgiu uma proposta de uma outra empresa, a EDP. Tinham o meu CV na base de dados e quase 3 anos depois de o mandar é que me contactaram. Fui passando às entrevistas e no final eles fizeram uma proposta muito interessante. Perante isso tomei um risco e no dia 1 de Abril (parece mentira) mudei. Foi uma aposta, se por um lado perdi uma oportunidade de estudo que parecia extremamente interessante, pude ir para uma empresa ainda maior que a PT e com diferentes perspectivas de evolução.
A aposta tem corrido bem e entre viagens, telefonemas, mails e tantas outras chatices (que também são as que dão o sal ao trabalho) penso que tenho vindo a portar-me bem perante este desafio.
Foi também uma altura em que acabou uma longa relação que tinha e que vistas as coisas foi algo muito positivo (pois era uma individualidade que mostrou ter muito menos de pessoa do que pensava). Foram certamente umas alturas conturbadas mas que deram espaço para crescer e olhar para tudo com uma visão mais informada.
Com essa alteração que tive fora do horário de trabalho pude finalmente envergar por caminhos que me chamavam faz muito tempo. Meti-me num curso de fotografia, mundo que me atrai tanto e que diariamente me dá trabalho. Trabalhei para melhorar o querido grupo de fados e com o nosso trabalho deu para começarmos o que penso estar a ser uma época dourada. Com inúmeros convites, saídas e convívios, entre as quais viagens para fora da pátria.
Um ponto alto (expressão peculiarmente apropriada) foi uma viagem que pude fazer este ano, subir a montanha mais alta de África e que é também a montanha isolada mais alta do mundo, o Kilimanjaro. Foi uma prova extenuante e que só deu para mostrar-me o que tenho cá nas entranhas.
Agora não há nenhuma meta que tenha passado, vejo os dias como um caminho para chegar e um destino que ainda não quis definir. E assim ando, uns dias devagar, outros depressa, mas todos diferentes.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

7 anos - um registo III

Já no final de 2005 mudei de ares. No final do meu estágio passei para a Portugal Telecom. Um belo local para trabalhar, uma grande empresa, perto de casa e com boas condições. Uma grande motivação que tive ao trabalhar lá foi estar envolvido em projectos grandes e com visibilidade, como é a Uzo ou a Phone-ix. Afinal é sempre motivante trabalhar para algo e sair à rua e ver que o nosso trabalho anda por aí e é utilizado pelos outros.
Ao mesmo tempo ia permitindo as minhas actividades como a tuna que tive que deixar (pois o tempo não era o mesmo que outrora), o grupo de fados e o kendo.
Foram cerca de 3 anos e meio que lá estive e durante os quais penso que aprendi bastante. Ocasionalmente vou ainda ter com os meus ex-colegas que também vão por lá ficando.
Posso dizer que estar a trabalhar entretém e muito, isto no sentido em que o tempo passa a correr. Isso, ou não se dá o mesmo valor a estes tempos, face ao tempo de estudante. Digo isto porque num abrir e fechar de olhos passaram 4 anos desde o momento em que larguei a faculdade e entrei no mundo do trabalho.
Pelo meio tive o meu irmão a casar, já lá vai o ano de 2007 e a ficar algo mais afastado de nós, como é compreensível. Afinal ao formar uma nova família há que dar tempo para tratar das novas pessoas que ganham uma nova dimensão na nossa vida. Uma altura marcante, mas que me deixa muito feliz ao ver que ele ainda está muito bem.
Em breve, uma conclusão.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

7 anos - um registo II

O quinto ano da faculdade foi certamente um dos mais marcantes. O primeiro semestre contou com uma das experiências que mais valorizo, o meu Erasmus. Foi para a Dinamarca que me mudei e durante esses meses a minha vida mudou, a minha família foi outra, assim como os meus hábitos, as minhas actividades e tudo o que fui fazendo.
Essa mudança de paradigma foi muito importante, mais ainda porque no Porto sempre estudei em casa dos pais e querendo ou não é muito diferente de estar sozinho e ter de ser eu a desenrascar-me. Acima de tudo o que de bom trouxe comigo foi a vivência, com amigos que conheci, amigos que mantenho e não só. A componente curricular já não sei descrever tão bem, mesmo assim foi o suficiente para estarmos ocupados e virmos de lá com uma média interessante.
O problema é que como tudo o que é bom tem em comum, foi um período que passou depressa. Penso mesmo assim que estive bem ao ser o último semestre antes do estágio curricular, já que se tivesse de voltar para o ritmo da FEUP seria deveras penoso.
Como o fim do Erasmus tive uma bela viagem de finalistas a Porto Seguro, uns belos 15 dias que só ficaram manchados (literalmente) por uma gastroenterite aguda (não recomendo de todo).
E antes que o bom parecesse eterno comecei o meu estágio curricular, na Efacec Sistemas de Electrónica. Foi lá que mudei o disco, foi lá que deixei a vida de estudante e comecei a viver num outro mundo, não digo pior, mas deveras diferente, o mundo laboral. Felizmente há uma memória que me lembro. O meu primeiro ordenado, num cheque do Millennium BCP. Um mimo!

domingo, 7 de novembro de 2010

7 anos - um registo I

Como foi pedido e tendo em conta o meu gosto de agradar, decidi falar um pouco dos 7 anos que por este recanto já estão registados.
Começo por aperceber-me que os dias, os meses, os anos passam a correr, como que um comboio que vemos passar numa estação. Mesmo assim, o que valorizo é o que se faz com esse tempo, como se aproveitam as pessoas e as situações. Sendo que se o tempo passa a correr, só tiro positividade, porque como muitos sabem, estarmos entretidos, muito faz para parecer que o relógio anda a um ritmo frenético.

Voltando à plenitude de anos, este registo começou em 2003, estava eu ainda a estudar, no meu 3º ano e já com a constatação que o curso voava perante mim, já sentia a saudade de um período que tinha chegado e que não tardaria passaria. Tinha no entanto outros olhos, mais jovens, mais ingénuos, tão importantes para saborear esses dias. Os tempos eram perdidos entre aulas (muito poucas), trabalhos (que tantas noites ocupavam) e borga, que deveria ser mais do que tive (ou talvez não).
Também neste ano fui para a Tuna de Engenharia que tanto gosto me deu. Era um caloiro da tuna mais experiente (afinal já tinham passado os 18 anos) e fui dando o meu contributo. Talvez fosse necessário dar mais, mas o que dei já passou.

O quarto ano foi semelhante mas mais activo, os trabalhos apertavam mais e o estudo era certamente a prioridade. Apesar da saudade crescente do curso que passava, queria terminar tudo em 5 anos. Sendo que felizmente tudo foi correndo de feição...

E mais virá depois...

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

SAL-50F14 - possibilidades

A lente chegou a SAL-50F14, esta lente não dá para fazer zoom, a não ser aquele manual de andar para trás e para a frente. No entanto é uma limitação mais do que consciente, a qual assumi quando comprei a objectiva.
O ponto forte da lente é a abertura de F1.4. Isto quer dizer que o diafragma abre muito. O resultado pode ser percebido aqui "Atrás da objectiva". Que é um blog de um amigo meu e que explica em português para leigos estas particularidades técnicas da fotografia.
Para quem tiver com o tempo cortado, o que consigo, para além de tirar fotografias com menos luz, é tirar aqueles retratos com o modelo focado e tudo o demais desfocado.
É no fundo mais uma possibilidade para a minha fotografia, veremos o que tiro daqui. Entretanto fica um exemplo do que pode sair, com este auto-retrato.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

SAL-50F14

Porque a fotografia é um gosto, porque a fotografia é arte e acima de tudo porque faz-me sentir bem. Tratei de investir um pouco mais neste meu passatempo (deveria ter outro nome). Desta feita comprei mais uma objectiva, a qual estava na calha faz algum tempo.

Tomei a decisão e está encomendada uma bela Sony SAL-50F14. Para quem não está a ver é uma lente de 50mm com abertura F1.4. Se quiserem saber mais é ir ao google ou ao wikipedia e procurar F-stop ou focal length.

Agora quando a menina chegar ponho algumas fotos para mostrar o que a lente consegue fazer.

sábado, 30 de outubro de 2010

7 anos a postar!

Quando há sete anos comecei a escrever uns posts neste cantinho da internet não pensei que ainda hoje, passados estes anos, estaria ainda com muito para escrever.
Cada vez mais vejo que realmente uns dias são depressa e outros devagar e o certo é que são todos diferentes. Assim, espero que me mantenha a falar ao mundo durante muito mais tempo e parabéns a mim e ao meu blog.
E vão 7!

Serenata de Engenharia 2010

Se não é a actuação que mais gosto de ter com o grupo de fados, é certamente umas das mais importantes, a serenata do caloiro de engenharia. A importância começa logo com o facto de ser a minha casa, a casa que me formou e que me criou. A casa cujos recantos já são meus faz 10 anos e foi esta celebração, que é saudosa e não só, que traz um gosto único a estes momentos.
O serão começou pelas 20:30, as mesas preparadas de preto e o cenário montado antecipavam mais um jantar do caloiro. Diria que o simples facto de termos esta celebração a uma sexta-feira é o suficiente para melhorar a dinâmica do grupo de fados. Já não temos de pensar que o dia seguinte nos trará trabalho e focamo-nos no momento e no gozo dos que nos acompanham.
Lombo e salsichas passaram e como a fome era muito tratei de me nutrir convenientemente. O jantar, bem regado, passou e logo fomos para o local da serenata. Aqui foi muito positivo ter a companhia dos mais velhos que, com tudo o que já viveram entre eles e connosco, criam uma dinâmica ainda mais assolapada.
Fomos para o sítio do costume, com o estamine preparado, afinamos instrumentos e esperamos pela chegada dos caloiros. Não tardou a chegarem e menos tardou ainda a começarmos a tocar.
Os temas sucederam-se, a boa disposição, a tertúlia, o convívio. Acabamos de tocar e apesar da hora convidar ao descanso continuamos na companhia uns dos outros. Não tardou, passavam das 5 da manhã quando achamos por bem procurar descanso.
Que bela noite, com música e amigos, algo que deveria existir diariamente. Como não há, saboreamos as memórias que ficam. Sendo que espero que para o ano haja mais!

P.S. - O grupo de fados na televisão no ano de 1994, quando já se fazia bela música!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

OTango

Ontem tive direito a mais um belo momento cultural. Fui para o centro do Porto, para o conhecido Coliseu e com os pais fomos ver um espectáculo OTango. Para eles foi uma surpresa porque recusei-me a dizer-lhes para onde iam. Felizmente a surpresa foi bem agradável e apreciada.
Já o espectáculo começou um pouco em baixo, mas foi subindo de qualidade. Os dançarinos muito bons, embora, tirando uma dançarina, as mulheres pareciam que estavam a fazer um frete em estar ali. Era o que dizia a expressão facial delas.
A acompanhar o espectáculo havia um casal de cantores, sendo que ele tinha uma bela voz, quer no timbre quer na qualidade.
Algo que também gostei bastante foi a banda que tocava, a qual abrilhantou muito bem todo o espectáculo, dando envolvência e outra dinâmica ao show.
No final posso dizer que o saldo foi positivo, pelo espectáculo, pela companhia e tudo o que isso acarreta. Espero que hajam mais oportunidades em breve de alimentar o meu bicho cultural.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Serenata Academia 2010

Foi com imenso gosto que mais uma vez ajudamos à festa da academia do Porto para receber os caloiros. É claro que antes das cantorias em si, havia a necessidade de alimentar as hostes pois como diz o ditado, quem não é para comer, não é para trabalhar. Tendo isso em conta, e mesmo ao lado do hospital Santo António, sentamo-nos com os demais e lá iniciamos um belo convívio. Realmente a presença de amigos, e obviamente os demais, que ganhei com o grupo de fados, é uma bênção na terra.
O jantar lá passou, o convívio agradável só pecou por ser um Domingo à noite. Que para quem trabalha não é a altura mais agradável. É claro que não iríamos deixar que isso minorasse o espírito festivo e rumamos para a cadeia da relação. O público esperava a música e com esse desejo, começaram-se a ouvir os acordes. Nós, como de costume, ficamos para o final e com algumas simpáticas convidadas no palco, tocamos o que mais gostamos.
O momento passou, a serenata findou e ficou só o convívio, que foi curto dado que a segunda-feira é um dia implacável. Um belo serão para começar bem a cansativa semana.

sábado, 23 de outubro de 2010

22 Anos de GFFEUP - a Festa!

Depois de uma saída rápida, atravessamos a cidade e bem perto da saudosa rua dos bragas e da faculdade antiga de engenharia, fomos para o Zé de Braga, que tem vindo a contar com a nossa presença a cada aniversário.
Entramos e ficamos logo espantados com a renovação do espaço, a sala lá do fundo até perdeu a coluna que tinha bem no meio e até parecia que estávamos noutro sítio. É que depois de tantos anos a ver um sítio com um formato e agora com outro distinto é algo que marca. Mesmo assim não era para apreciar o espaço que lá estávamos. O objectivo era outro, e assim sendo, cantamos, comemos e a noite passou bem depressa. Entre notas, conversas e garrafas vazias lá tivemos de deixar o restaurante. Pois o dono o Sr. Zé, apesar de estar a gostar da companhia e principalmente da música, tinha de acordar cedo. Peso que já conhecemos bem. Rumamos então para um bar ali perto e tivemos a oportunidade de ter umas agradáveis conversas que deram para saborear o bom que cada elemento deste saudável grupo tem.
Um belo serão com excelente companhia!

TMSI 2010

Sexta-feira, e porque achamos que ainda não tínhamos cantado e tocado o suficiente fomos para um belíssimo sítio do Porto. A pousada do freixo, que para quem não conhece é umas das melhores localizações no norte do país para ficar alojado.
Mas não era a ideia ficarmos lá a dormir, mas abrilhantar um pouco o período pré jantar da conferência Technology and Medical Sciences Internacional 2010.
Entre vários temas pusemos sorrisos e agrado nos presentes e depois de acabarmos a nossa performance fomos a correr dali para fora, não fossemos estar atrasados para um jantar :D

terça-feira, 19 de outubro de 2010

XII anos de Levadas

A segunda-feira teve dois aniversários, por um lado o meu querido grupo de fados fez 22 anos de existência, sendo que fico muito contente por ir contribuindo no que posso para que se mantenha de boa saúde e a agradar vários públicos. Curiosamente, não somos os únicos a celebrar o aniversário, já que as meninas das Levadas da Broca (a tuna feminina de medicina dentária) fazem também 12 anos desde o seu aparecimento.
Para celebrar o facto, organizaram um festival e apesar de fazer uma visita de médico, fui lá marcar o ponto. Ainda bem que o fiz por ela tiveram a gentileza de nos congratular pelo nosso aniversário e lá estava para agradecer o gesto.
Fiz uma pequena reportagem fotográfica e mesmo com a gripe a prejudicar o meu desempenho não perdi a boa disposição.
Às Levadas, parabéns! E que continuem a encantar muitos mais anos!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Serenata ISMAI

A semana não passaria depressa e quinta-feira foi dia de sairmos do Porto para passar na Maia, ajudar com a recepção do caloiro no ISMAI. Percorrendo a via norte e a nacional chegamos ao primeiro ponto de paragem, o restaurante Ferradura o qual nos deu novamente para além de boa companhia, um suculento bacalhau que cada vez mais se torna um marco deste encontro. A peculiar mesa estava cheia e apesar da posição precária do Moço saboreamos tudo a que tivemos direito.
Seguimos então para o ISMAI, preparamos as guitarras e as vozes e cantamos o que quisemos para aquela longa rampa de caloiros e não só. Um belo serão, e não fosse o trabalhar no dia seguinte a companhia dos demais teria sido aproveitada durante mais tempo!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Serenata Enfermagem

Foi dia de mais uma serenata, neste Outubro que tanta animação tem a nível académico. Partimos para o centro do Porto para um peculiar jantar e não tardou a irmos para uma casa já conhecida, Enfermagem. Foi pena não ver por lá o Agostinho e a Panamá, mas nem sempre podemos ter o que queremos.
As hostes preparadas e atentas tiveram um rápido encanto naquele pátio.
Acho que as palavras são contadas dado o cansaço que este mês me traz, afinal para quem acorda no dia seguinte para trabalhar, fugir ao horário do costume é um peso considerável.
Mesmo assim é sempre bom irmos por essas casas da academia dar um pouco da nossa graça, esperemos estar lá novamente para o ano que vem.

domingo, 10 de outubro de 2010

Corrida Sportzone

Este Domingo, 10/10/10 (que curiosa data) houve a meia-maratona Sportzone, isso para alguns, para outros ouve a mini-maratona, que é como quem diz uma caminhada de 6 km pelas ruas do Porto. O trajecto iniciou no palácio do freixo (mais coisa menos coisa) e findou no Fluvial, e como ia a um ritmo de caminhada demorei os meus 54 minutos.
A companhia foi variada, principalmente com a turma de MBA da EGP, à qual eu parecia um outsider. Mesmo assim, e apesar de acordar cedo depois de uma curta noitada, foi uma boa manhã!

Agora logo à noite há mais animação, porque o mês de Outubro não é brando para mim!

Serenata IPAM

Já começa um novo ano lectivo, com ele recomeça um ciclo que cada vez mais conheço, embora já não seja o meu. Mesmo assim "teimo" em dar o meu contributo a este novo ano. Com o grupo de fados fui mais uma vez ao IPAM ajudar à serenata deles.
Desta feita a localização alterou um pouco, deixando o coreto ao pé da Câmara de Matosinhos para irmos para um teatro ali ao pé.
Os microfones trataram de nos pôr mais à vontade e o que se seguiu foi um belo espectáculo!
Alguém tratou de gravar parate do momento e apesar de não ser a primazia da qualidade, aqui fica mais um registo do grupo de fados de engenharia.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Canto?

Apesar de já cantar há muitos anos, e como tenho uma vontade contínua de ser melhor do que sou, estou a experimentar umas aulas de canto para ver se melhoro ainda mais o que já vou fazendo com alguma qualidade, cantar.
O local é a escola Valentim de Carvalho, a qual ainda teve algumas boas referências, e depois de uma produtiva primeira aula, tenho muitas mais para melhorar!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Dá que pensar....

Se ao menos fossemos mais organizados....

sábado, 25 de setembro de 2010

Para sorrir

E porque depois de uma grande viagem há sempre muito ânimo, fica aqui algo que só deve causar sorrisos. Pelo que é, pelas expressões...por tudo.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Kilimanjaro - vocabulário 6 - expressões

Na viagem que tive deu para aprender algum vocabulário de swahili. Alerto só que é tudo fonético e que não há qualquer preocupação pela escrita. É só para fomentar a curiosidade de cada um.
Esta é a última entrada desta série e são algumas expressões que ouví.

Abárí zá subui – Bom dia
Abárí zam chan – Boa tarde
Abárí zá díoní – Boa noite
Maíshia Máréfu – Vida longa (usado para brindar)
Leo tunoquenda Porto – Hoje vou para o Porto
Kesho tunaquenda Lisboa – Amanhã vou para Lisboa
Hakuna matata – Sem problema, não há problema
Poa quichízí, camon daisy, danía frígí – Fresco como uma banana no congelador

Música:
Jambo, jambo buaná, abári ganí, inzurí saná, wagení muakazibishua, Kilimanjaro, hakuna matata, tembe a polí polí, hakuna matata.

Que semana de trabalho!

Na semana que voltei à labuta, pelo menos na verdadeira abrangência da palavra, tive tudo a correr mal, ou muito pouco bem.
Começou por na segunda-feira me lesionar nos dois joelhos no treino. Num levei uma acidental sarrafada e depois tratei de esticar em demasia o joelho que teve a ruptura de ligamentos. Ao menos agora, quinta-feira, o da sarrafada está quase bom, mas o outro demorará bastante a sarar.
Terça-feira saí para Lisboa e tive a pouca sorte de ter o meu comboio a atrasar-se mais de 1 hora. Das reuniões que tive durante terça-feira e quarta-feira o cansaço foi muito.
Na quarta-feira era para ir no comboio das 16h, mas a ultima reunião que tinha atrasou e passei para as 17h. Ao sair, ia para o metro, mas alguém se tinha atirado para a única linha que queria utilizar, a azul. Fui em passo apressado do Marquês para Santa Apolónia só para perder o comboio por 4 minutos. Que coisa, arranja bilhete para o das 18h.
Entretanto telefonam a dizer que no dia seguinte tenho uma reunião em Odivelas, ai sorte a minha! Nem ficar podia, pois para além dos hotéis estarem cheios, a roupa lavada não existia, e além disso queria ir mesmo a casa.
Quinta-feira, já com quase 600km em cima, e depois de uma reunião que até nem correu mal, estou a chegar a casa, mas amanhã tenho de apresentar o trabalho desta semana, o que não será das tarefas mais fáceis.
Só posso dizer que segundo a minha teoria do equilíbrio ou tudo isto foi por eu chegar são e salvo do Kilimanjaro, ou algo de muito bom mesmo se aproxima a passos largos!

Kilimanjaro - vocabulário 5 - números

Na viagem que tive deu para aprender algum vocabulário de swahili. Alerto só que é tudo fonético e que não há qualquer preocupação pela escrita. É só para fomentar a curiosidade de cada um.

Moiá – Um
Bili – Dois
Tátú – Três
Né – Quatro
Táno – Cinco
Sitá – Seis
Sábá – Sete
Náné – Oito
Tissá – Nove
Kúmi – Dez
Kúmi ná moiá - Onze

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Kilimanjaro - vocabulário 4

Na viagem que tive deu para aprender algum vocabulário de swahili. Alerto só que é tudo fonético e que não há qualquer preocupação pela escrita. É só para fomentar a curiosidade de cada um.

Uá - Flor
Humdógú – Pequeno
Kutúma – Enviar
Mukubua – Grande
Humsítu – Floresta
Humtí – Árvore
Humsítu Mukúbuá – Grande floresta
Darádiá – Ponte
Kutóká – Saída
Chako - Assento
Ussisahaú kutúma – Não esquecer
Mapokesí – Recepção (como a de um hotel)
Chakúla chá dióni – Jantar
Chakúla cham mhumchana – Almoço
Chai à subuí – Pequeno-almoço

Kilimanjaro - vocabulário 3

Na viagem que tive deu para aprender algum vocabulário de swahili. Alerto só que é tudo fonético e que não há qualquer preocupação pela escrita. É só para fomentar a curiosidade de cada um.

Badai – Até logo
Natáka – Precisar (eu preciso)
Pésa – Dinheiro
Nipá Pésa – Dar dinheiro
Nipé Pésa – Pagar dinheiro
Rafíkí – Amigo(s)
Muzúngú – Branco
Wazúngú – Gente branca
Upepo – Vento
Simba – Leão
Tunoquenda – Ir
Bardí – Frio
Moto – Fogo
Chémuká – Ferver
Diuá – Sol

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Kilimanjaro - vocabulário 2

Na viagem que tive deu para aprender algum vocabulário de swahili. Alerto só que é tudo fonético e que não há qualquer preocupação pela escrita. É só para fomentar a curiosidade de cada um.

Mára - Todos
Dio – Sim
Apána – Não
Twéndé – Vamos
Ninajá – Com fome
Kulálá – Dormir
Punzíca – Descansar
Simámá – Parar
Mukotawárí – Prontos para ir?
Mirima – Monte
Mugúmu – Carregador
Kióngozu – Guia
Mági – Água
Mági à Kúnhua – Água para beber
Mági à Kunáwa – Água para lavar
Quaéri - Adeus

Kilimanjaro - vocabulário 1

Na viagem que tive deu para aprender algum vocabulário de swahili. Alerto só que é tudo fonético e que não há qualquer preocupação pela escrita. É só para fomentar a curiosidade de cada um.

Jambo – Olá
Mambó – Como estás? (cumprimento)
Poá – Fixe (em resposta a Mambó)
Abári – Tudo bem?
Misúri – Tudo bem (resposta a abári), bom
Vizúrí – Muito bom
Poli – Devagar
Aráka – Rápido
U niwi tawanáni – Qual è o teu nome?
Náwi ta António – O meu nome é António
Assantí – Obrigado
Assantí sama – Muito obrigado
Karibú – De nada
Samahání – Por favor
Naítági - Precisar
Sama – Muito

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Kilimanjaro – Dia 11 – 12:11

O dia começou cedo. Apanhei o comboio às 8:00, o qual esperava para nos levar a casa. A viagem não custou muito, pois já tínhamos descansado alguma coisa. Além do mais, o habito a fazer a viagem de comboio em trabalho é tanto que o tempo no pendular passa a um ritmo estranho e acelerado.
Chegados a casa, tivemos direito a um belo almoço de bacalhau, sendo que agora ainda tenho o dia de hoje e de amanhã para tentar recuperar do cansaço e para me por a par do mundo. Cuja informação e tarefas estiveram ao largo durante estes dias. Infelizmente quinta-feira já volto ao trabalho e isso certamente será o mais custoso.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Kilimanjaro – Dia 10 – 20:27

Faltam 2:35h para chegar a Lisboa, que é como quem diz, estou sentado no lugar 26E à espera de que o avião vá para a pista e levante para a Lusitânia. Para ser honesto só quero chegar a casa e descansar. Certo que só será amanhã, mas estando em Lisboa estou quase em casa. Já faltou mais, por isso é que como a subida para o cume Uhuru, com paciência.
Fica só uma positiva nota para uma casa de chocolate aqui no aeroporto, a qual contava com umas saborosas iguarias.

Kilimanjaro – Dia 10 – 14:16


Só mais 2 horas e saio do caixote, estico as pernas para depois me enfiar em mais um contentor. Sendo que amanhã ainda há direito a 3 horas de pendular Lisboa-Porto. Felizmente a nossa maior espera é em Amesterdão, cujo aeroporto sempre tem mais que ver do que o centro comercial dos anos 70 que é o aeroporto de Nairobi.
Uma nota que não referi antes, foi que o topo do Kilimanjaro estava cheio de nuvens, por isso quem estava a subir neste dia teve a vida muito dificultada. Até nesse ponto a viagem correu bem, à parte dos 2 ingleses que compunham o nosso grupo de 4, tudo esteve bem. O alojamento era satisfatório, a equipa da subida muito simpática, a comida era melhor do que esperávamos e quer eu, quer o meu irmão superamos uma meta que teve momentos em que pareceu inalcançável.
Uma bela experiência para recordar!

Kilimanjaro – Dia 10 – 11:16

Um voo de mais de 8 horas é certamente um longo voo. Mais ainda quando não é o único. Além do mais, nem é hoje que chegamos a casa. Só amanhã pela hora de almoço, o que é sempre animador para quem está farto de estar enfiado num tubo metálico. Nesta viagem, neste limbo, tudo parece fútil, um dia e meio perdido quando me apetecia fazer tanto! Suponho que seja a fatalidade de quem quer visitar locais mais exóticos e distantes. Vou-me ocupando com algo nas 4:26h que ainda temos até ao nosso destino intermédio de Amesterdão.

Kilimanjaro – Dia 10 – 7:38

Antes que certas curiosidades passem da minha memória, quero que fiquem registadas e como tal, algumas coisas listo que se passam na Tanzânia:
•    Os homens querem ter uma barriga grande e redonda
•    Os homens querem ser carecas
•    As mulheres querem ter cabelo liso
•    As lombas da estrada parecem pequenas colinas
•    Acham que eu e o meu irmão somos gémeos (apesar de 8 anos de diferença e não só)
•    Perguntam logo se somos casados
•    Se formos perguntam quantos filhos temos
•    O equador está a uns meros 300km a norte do Kilimanjaro
•    Há sempre pizza no hotel, seja qual for a refeição (sim também há ao pequeno-almoço)
•    Em 2009, 36% do PIB da Tanzânia proveio dos seus parques naturais (onde se inclui o Kilimanjaro), em 2010 deve ser 42%.

Kilimanjaro – Dia 10 – 7:23

Já estou em Nairobi, espero pelo voo mais longo deste retorno. Olho para mim e vejo as unhas sujas, as botas imundas, mas sinto que não é sujidade. É sim uma imensidão de histórias que trago e me lembram. Já são símbolos e não meros objectos. Posso dizer que esta viagem é isso mesmo, um símbolo do que agora sou, bom ou mau os outros dirão. Eu só sei que sou eu, com todas as minhas características que certamente serão defeitos aos olhos de uns e virtudes aos olhos de outros.
Voltando ao voo, este só parte pelas 8:10, sendo que até lá, saboreio esta experiência. Ao som de Lhasa de Sela – Is Anithing Wrong.

Kilimanjaro – Dia 10 – 5:50

O serão memorável de ontem foi seguido de um bom sono, mas muito curto. Com o mosquiteiro por cima da cama, acordei e, ao olhar para o relógio, vi que eram 3:15. Retocamos as malas, saímos do quarto, tomamos um leve pequeno-almoço e ficamos à espera do motorista para nos levar ao aeroporto. A viagem foi bem mais rápida do que a de vinda, mesmo assim foram 40 minutos.
Gora levantamos voo e já vemos a imponente montanha, mais alta do que este avião está a voar (18.000 pés faca aos 19840 do Kili). É uma visão magnífica e que levarei sempre comigo.

domingo, 19 de setembro de 2010

Kilimanjaro – Dia 9 – 22:21

Com o final do dia tivemos os membros da nossa expedição (principalmente os guias)  entregarem os diplomas relativos à nossa subida. Houve em primeiro lugar a parte mais “comercial” com os discursos mais ou menos preparados. No entanto, depois disso, o Bruce (o guia principal) ficou a falar comigo e com o Chico da experiência que foi conviver connosco. Ficamos os dois sentidos com as palavras dele e com a emoção dele, a qual ia dando em choradeira. Com isso é que não contávamos e foi bom ver que gentes tão diferentes são, no seu âmago, tão iguais. Cada vez mais posso dizer que esta viagem me fez passar frio, me fez suar, me fez praguejar, me fez sofrer, me fez olhar para mim e que também me fez, não mudar, mas refinar o que sou. Fez-me focar no que de nós fica nos outros. África, hás-de ficar no meu coração, pelo que dás, pelo que tens, pelo que pedes e pelas recordações que deixas. Assanti sama! (muito obrigado)

Kilimanjaro – Dia 9 – 18:10

Homem renovado, é como me sinto. Já fiz a mala e acima de tudo tomei um banho. Melhor dizendo, tomei o equivalente a 3 banhos. Até sentir a água no couro cabeludo demorou, demorou, demorou... Quando esse momento chegou, foi uma curiosa impressão. Parecia uma quebra nos 7 dias que tive. Como um despertador a acordar-me para o trabalho. Agora sei que esta jornada está a chegar ao fim, que a rotina voltará em breve e que terei de novo as minhas responsabilidades.
Mesmo assim, este tipo de férias tem uma grande vantagem. No retorno não há propriamente aquele pensamento “estava tão bem de férias...”, ainda para mais depois desta jornada completa com gosto e com sucesso. Saio renovado, modesto, confiante, limpo e acima de tudo...melhor.

Kilimanjaro – Dia 9 – 16:02

Estou finalmente no hotel, parece que estou num mundo bem diferente do que estive nestes últimos 7 dias. Quando cheguei há uma semana pensei que era um sítio fraco mas que chegava para o gasto. Agora parece-me que subiu de qualidade consideravelmente, algo que também é afectado pela minha mudança de referencial. Tratamos de algumas burocracias, fizemos umas singelas compras, sendo que agora, resta-nos encontrar com o nosso saco que está algures perdido pelo hotel. Não está fácil de aparecer, e continuando assim, vamos com um curioso perfume para a pátria.

Kilimanjaro – Dia 9 – 9:15


Depois da apoteose de ontem, ver o topo do mundo e presenciar um nascer do Sol único, tivemos uma desgastante caminhada. Felizmente o parque de campismo era muito bom. Muita relva, macacos a saltar nas árvores e acima de tudo, à noite, só estava frio, e não gélido como nos últimos dias. Foi a diferença de descer dos 5895 metros para os 2700 metros.
Na noite de hoje, pela primeira vez desde que iniciei a caminhada, dormi ferrado, quase que sem dó nem piedade. Quando acordei, estava muito melhor, mas mesmo tendo em conta a melhoria, as pernas ainda estavam como se tivessem levado repetidas vezes com um estadulho. Agora restam umas singelas 3 horas de caminhada, a qual termina em “Marangu Gate” e lá findaremos esta subida à maior montanha de África.