quinta-feira, 28 de abril de 2011

Cores...

Para quem já se deparou com esta situação acho que se vai rever na imagem que me saltou para o ecrã do PC. Quantas vezes não vi aquela resposta mal amanhada por perguntar algo do género:

Eu: "Camisola roxa nova?!"
Mulher X: "Roxa? Tás parvo?! Isto é fuscia! Vê-se mesmo que não percebes nada disto!"
Eu: "Fu..quê?!"

Note-se que a mulher x já foi personificada por inúmeras pessoas embora as cores tendencialmente mudem. Acho que no fundo os homens vivem felizes com uma menor consciência de cores do que as mulheres. Não é que até percebamos a diferença, mas acho que mais depressa a atenção vai dirigida para outras vertentes. Não é algo mau nem bom, apenas diferente relativamente às oriundas de Vénus.

P.s. - como disse isto saltou-me para o ecrã do PC, quem souber de onde é, que me diga por favor!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Frigorífico novo?

Alguém está a pensar em mudar de frigorífico? Bem, se for o caso aqui fica uma sugestão da Electrolux. Em vez do tradicional "caixote" frio algo inovador, um gel que mantém a comida fresca. Supostamente permite colocar mais coisas no frio, embora acho que irá demorar algum tempo às pessoas se habituarem a meter as verduras e a fruta no meio de um gel verde e viscoso (mas que tem a indicação que não passa de qualquer modo para a comida.
Algo a ver definitivamente!


p.s. - o link veio-me parar às mãos, se alguém souber de onde é que avise.

sábado, 23 de abril de 2011

Champex-Lac 5

Um longo, longo dia, foi o resumo de uma série de horas que começaram na quinta e tomara toda a sexta. Durante quinta começamos por deixar o chalêt e Champex-lac, o destino passou a ser Zurique que ainda estava a 300km de distância e assim havia alguma estrada pela frente.
Tinhamos de atravessar o país e passar do cantão francês para o alemão, o qual saltou à vista pela língua falada, do mais familiar francês, para o reconhecível e incompreensível alemão.
Pode-se dizer que a cidade é castiça, com ruas estreitas ao estilo de uma terra que nasceu em tempos medievais, e nas quais proliferavam restaurantes, bares e...outros negócios que fazem lembrar a conhecida Amesterdão...
Deu ainda tempo para uma bela cerveja e seguirmos então para o sítio da nossa última actuação, o restaurante Caravela. Fomos presenteados com um belo manjar e depois partilhamos a nossa música. O gosto estava visível nos presentes e não fosse a necessidade de chegar a horas para entregar a carrinha em Portugal, certamente teriamos ficado mais tempo por terras suíças.
Havia no entanto consciência dos 2200 km que ainda tinhamos pela frente e assim sendo entramos para a familiar Ford Transit. Assim a nossa sexta foi basicamente a conduzir, a passarmos alcatrão com a nossa casa na cabeça. Ora conduzia-se, ora dormia-se, ora fazia-se companhia. Lá estavamos, muitas horas depois em casa, com um gosto por estar nos braços de quem nos esperava e na memória com uma bela semana com os nossos amigos.

Para o ano, quiçá destinos...diferentes!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Champex-Lac 4

Hoje foi dia de passeio, passamos meia hora ao espelho e ficamos por aí (pelo menos no que toca às semelhanças com a música dos Rio Grande). Devido a um jantar regado a vontade de acordar era menor, mesmo assim lá tratamos de preparar as coisas para começar a almoçar. Quando o processo estava para arrancar deparamo-nos com uma dificuldade. Não tinhamos água, a fonte estava seca. Como tal sobrou uma solução, rumamos logo para Chamonix (embora na fronteira, para o guarda fronteiriço tivesse dito que iamos para Champomix). Lá deu para ver de perto o que espero para o ano subir, o monte branco sendo que parece mais um no meio de tantos picos. A vila é bem castiça e tem uma bela dimensão e com bastante animação. Ficamos a passear com as lojas em vista e finalmente encontrei umas calças que me ficaram na retina. 
Para quem não sabe andava à procura de umas calças para esquiar e não encontrei o que queria, desta vez encontrei algo que me interessasse mais. Paralelamente estive também a ver botas para frio extremo. Cheguei à conclusão que tenho de comprar um 45 para um modelo que já andava a pesquisar (tamanho estimado, dado que só tinham até ao 44 1/2).
Tanta pseudo-animação e acabamos agora em casa a comer uma massinha, sendo que a malta já está cansada. Felizmente amanhã temos uma actuação para quebrar esta rotina e logo a seguir voltar para abraçar Portugal (agora só me lembro da música do Graciano Saga).

Amanhã será um longo, longo dia, só de pensar...

terça-feira, 19 de abril de 2011

Champex-Lac 3

Um dia bem longo este, que tivemos. Conseguimos acordar relativamente cedo para nos arranjarmos e tratarmos de subir um monte que temos mesmo em frente. A diferença de cota é de 1000 metros e tudo numa subida de cerca de 5 km. O problema que tivemos nem foi propriamente o declive, que em certos sítios estaria para além dos 45º. Foi a neve que havia no caminho, e dado que certas pessoas não estavam assim tão preparadas (note-se que levar sapatos de traje não é o mais indicado), vimo-nos forçados a descer quando já tinhamos subido cerca de metade do monte. Mas dado que ainda tinhamos força, e acima de tudo comida nas mochilas, arranjamos alternativas e fomos passear para trajectos mais acessíveis e com paisagens igualmente bonitas.
Os passeios terminaram e regrassamos ao chalêt, tomamos uns revigurantes banhos e, para aproveitar o dia, fomos a Sion ver a cidade. Esta conta com vários castelos e um centro castiço, com ruas bem estreitas que fazem lembrar o Porto com a sua caótica disposição.
Mesmo assim, para acabar o dia em beleza, regressamos a casa e fizemos um belo jantar que consistiu em carne grelhada e um belho arroz de cenoura (note-se que eram precisas mais 4 ou 5 cenouras, mas meteu-se o que se tinha).

Amanhã é dia de ir a Chamonix, ver o que podemos fazer ao nosso espírito consumista.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Champex-Lac 2

Este dia começou mais tarde do que o normal, um acordar tardio foi obrigatório. Afinal depois de um dia inteiro na estrada e outro bem longo nas cantorias faz criar em mim um estranho e inexplicável cansaço.
Mesmo assim tratamos de comer algo para dar energia aos corpos cansados e tratamos de ir comprar algo para as refeições dos dias seguintes. Posso sublinhar que muitos homens às compras sem grandes objectivos, se assemelham a baratas tontas sem rumo ou destino.
Felizmente o dia ainda não tinha passado e podemos aproveitar a sublime paisagem com um passeio pelas margens do lago que temos no planalto onde temos residência.
Agora estamos na sala a preparar a janta e a saborear este convívio tão necessário e saboroso para a saúde deste meu grupo de fados.

domingo, 17 de abril de 2011

Champex-Lac

A digressão para a Suíça iniciou-se com um belo jantar no sítio do costume. A companhia era bastante e de qualidade e isso fez o tempo passar depressa até chegar a hora de irmos buscar o veículo.
Rumei até ao aeroporto e lá escolhemos a "vítima", uma enorme Ford Transit que, com as suas generosas dimensões, permitiu por facilmente todas as nossas tralhas. Metemo-nos à estrada e iniciamos a penosa viagem. Foi a literal viagem de sol a sol, sendo que depois de partirmos pelas 2h da manhã chegamos só à meia-noite do dia seguinte.
Pode-se dizer que foi uma bela estirada.

Com isso o Sábado foi perdido e depois de uma curta noite de sono, tratamos de acordar para irmos para o nosso primeiro ponto de paragem, a casa do Benfica de Neuchatel. Tivemos direito a uma bela e farta recepção que contou acima de tudo com inúmeras iguarias. Mais do que conseguimos comer. Saliento também o vinho do Douro (um reserva de 2005, que penso que se chamava "Soutinho").
Tratamos de tocar para quem lá estava e tivemos direito a um bom acolhimento do público. Mal sabiamos nós que ainda teriamos muito que cantar no dia de hoje! Na casa do Benfica fizemos duas sessões e saímos, para ir buscar o Manel a um aeroporto perto de sí.
Adicionamos mais 300 km à carrinha com 2 meses e voltamos a Neuchatel, desta vez procuravamos um outro poiso, um restaurante italiano de conhecimentos nossos. O local estava com pouca gente, fruto de um dia que antecipa a semana de trabalho, mas não foi isso que impediu de deixarmos uma menina lacrimejante e de levarmos com um inesperado flash. Já na saída do restaurante cruzamo-nos com uns portugueses que nos "forçaram" a entrar novamente no restaurante para bebermos mais uns copos.
A noite longa e com tanta música começou a fazer-se sentir e viemos para o nosso chatel, perdido em Champex-lac, a estrada sinuosa e estreita parece um constante desafio para a nossa carrinha, mas a vontade de dormir é tanta que não há desafio que nos pare.
Mesmo assim ainda ficamos na sala a conversar para chamar bem o sono, e amanhã, será um dia para descansar!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Fados em Santa Maria da Feira

Posso dizer que se há uma coisa que tem havido em abundância são actividades. O tempo não tem chegado para tudo e há muitas tarefas que tenho pendentes e que ainda não consegui por em dia, nomeadamente estar com amigos que merecem as minhas saudades e que ainda não as apaziguaram.
De qualquer modo tenho tido algumas actividades que tenho realizado, nomeadamente actuações que estão novamente a crescer em frequência.
Esta semana foi altura de irmos à cidade da feira mediaval, Santa Maria da Feira, partilhar um bocado do nosso gosto pela música através do nosso fado.
A chegada foi algo tardia, com as hostes a chegarem tarde ao ponto de encontro, cortesia de um trabalho que nem sempre acaba às horas desejadas. Chegados tivemos um longo e preenchido jantar o qual estava bem ao gosto.
Rumamos então para o mercado que tinha já o público à espera. Não tardou os acordes soaram e lá mostramos o que gostamos de fazer.
A música como de costume passou a correr e pensamos em voltar para casa, mas não sem antes registar o momento numa bela foto!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Para nós...

De pequenas coisas fazemos uma grande vida, tal e qual certas máquinas automóveis, são os pequenos pormenores que importam e dão o sal que precisamos no dia-a-dia. Pode ser uma paisagem, um gesto, um sorriso, uma música.
Nestes dias há coisas que me fazem muito feliz, como a música...


Para quem não conhece sugiro Mayra Andrade ...

sábado, 2 de abril de 2011

O presidente Obama tem computador próprio

Se a próxima versão do Censos tiver a pergunta "tem computador próprio" já sabemos o que o Obama responde. Com esta atitude claro que as pessoas gostam dele.
Só visto!