domingo, 9 de março de 2014

Açores 1


Perece que por muita vivência que tenha em férias vejo sempre que os momentos que as antecipam são estranhamente iguais. Sinto-me como a criança que espera pelo brinquedo novo. Com alguma azáfama procuro preparar tudo, sem deixar nada ao acaso. No entanto algo fica para trás.  A noite de véspera é sempre mal dormida, não vá o aviam partir sem os viajantes.
Da mesma maneira já pelas 3h antecipava no relógio a hora de levantar as 4:30. Sem atrasos lá rumamos para o aeroporto e uma viagem não tao longa. Antes de almoço já caminhavamos pelas ruas da Horta.
Como um filme romântico vi-me a apaixonar pela terra, o mar, a montanha branca do Pico e uma verdura mesmerizante.
Depois de tratarmos de arranjar um carro começamos a palmilhar um pouco da ilha. Os pontos altos do dia?
Um passeio de 7km pelo morro de Castelo Branco com umas vistas deslumbrantes do Pico e do Faial. O outro ponto é a casa de chá na Horta. Os donos, irmãos, tiraram uma bela inspiração da rota do chá do Porto, onde viveram vários anos. Se o chá é bom e variado, a atmosfera, a música são um complemento incrível. Certamente é com esta dinâmica que se fica apaixonado por esta terra.
Resta-nos agora comprar alguns mantimentos para as próximas caminhadas que só querem descobrir mais deste lugar.



Nenhum comentário: